Fazia tempo que não lia um livro tão profundo e ao mesmo tempo tão fácil de ler, sabe aquele livro que a gente começa e termina sem nem perceber? Gratidão à autora por nos presentear com uma obra tão incrível, gente de verdade... Super vale a leitura, deixo aqui a minha indicação.
@diariodeleiturasdarafa
página de leitura/instagram
Que dizer sobre uma narrativa que te traz para si, que aconchega (porque faz com que tu te reconheças nas dúvidas e medos das personagens), que te faz pensar e que faz com que (muitos dos teus) questionamentos que vivem escondidos venham à tona? Eu simples e facilmente mergulhei na narrativa - que conduziu, cheia de afeto - a me (re)ver e a rever minhas "cangalhas" - enquanto a história de Átina me era trazida. Vale cada linha.
Cristina Cardoso
Doutora em Letras pela UFSC
Com uma escrita fluída, agradável e afiada, Fernanda nos faz questionar nossa própria existência e não queremos parar de ler até entender como cada personagem se encaixa com o outro.
Duda Razzera
@dudarazzeraauthor /instagam
Meu novo livro favorito, desejo muito sucesso para a autora.
Isabella Gatti
Leitora Amazon
"E tuas olheiras de um verde profundo diziam muito sobre o mar em que seus olhos se afogaram". Essa é, para mim, uma das frases mais marcantes do livro "O dia em que a morte morreu de confusão", de Fernanda Matzenbacher. A obra de estréia da escritora tem personagens bem curiosos, como a jovem que carrega uma cangalha anexada ao corpo e pessoas que acabaram de morrer e ainda não tiveram nenhum "destino" pós morte. Sabe quando estamos pensando em um assunto e, em cinco segundos, criamos diversas versões, hipóteses, possibilidades? Assim me senti ao ler os intensos diálogos, que exigem bastante atenção do leitor. Uma boa leitura para uma quarentena; uma boa estréia Fernanda.
Fernanda Couto
Jornalista/Produtora de TV
Fazia tempo que não lia um autor nacional e me surpreendi com esse texto em prosa poética com um toque de humor. Repleto de personagens marcantes, me identifiquei de cara com a personagem Átina, que nasce com uma cangalha no pescoço. Você passa grande parte do livro se perguntando por quê? E lá pelas tantas vc descobre e aí é que se identifica mais ainda. Super recomendo.
@pascalemalinconico
leitora
É “insight” que você busca? Então não pode deixar de ler esse livro! De uma forma despojada a autora mostra o conflito que vivemos diariamente acerca de alguns “pilares” da nossa criação fazendo com que nos questionemos se realmente vale a pena continuar dentro dessa “caixinha”. Entendedores, entenderão!
@resenhaeleitura
página de leitura /instagram
Eu achei maravilhoso, já estou relendo ele, quero aproveitar pra te agradecer de coração, o livro é sensacional dms, e to aprendendo com Átina e tds os outros personagens, “ir dando um jeitinho, nesse mundo de confusão”... Ficarei muito agradecido por esse livro alcançar todas as pessoas que estão precisando.”
Henrique Oliveira
leitor
Leitura incrível de um livro nacional. Achei o livro de uma sensibilidade surreal, ele me afetou muito, pois tocou em assuntos muito fortes e que afetam muito a gente: amor, paixão, amizades, sentido da vida, morte... Obrigada pela confiança, Fernanda, o seu livro é lindo e com certeza irei ler ele novamente. Peço apenas que vocês leiam!
@1000paginas
página de leitura/instagram
Nunca marquei tantas frases em um livro ... Leiam e se inspirem...
@matosbrunac
página de leitura/instagram
Lendo a história fazemos um retrospecto sobre a nossa própria vida, sobre o passado e sobre as muitas "cangalhas" que nos impedem de evoluir e trilhar um caminho despovoado de ilusões e expectativas desnecessárias. [...] Recomendo muito!
@amorpelaliteratura
página de leitura/instagram
A leitura é muito gostosa, eu curti demais e separei diversos trechos que me fizeram pensar e repensar bastante sobre diversas situações, não somente sobre a vida, mas também sobre a morte, sobre erros e acertos, sobre sonhos e coisas do passado. Enfim, uma leitura para refletir e muitas vezes para confundir, mas totalmente inspiradora.
@livrosqueajudam
página de leitura/instagram